Imigração para o Canadá

Mais importante que o número é olhar a direção!

Em primeiro lugar, quero deixar bem claro que eu NÃO sou consultor de imigração nem tenho ligação com o governo canadense. Fiz essa análise de forma voluntária, com base nas tabelas disponibilizadas pelo governo do Canadá, e em notícias que tenho acompanhado sobre o país desde quando eu me movimentei de forma efetiva em direção ao Canadá, o que faz pouco mais de um ano. E em segundo lugar, desculpa aí o textão 🙂

Novas Metas de Imigração do Governo

Ontem o ministério de imigração canadense (IRCC, ainda chamado por todo mundo pela sigla antiga, CIC) divulgou as tão esperadas metas de residência permanente no Canadá para 2018. E não só isso, também divulgou as metas para 2019 e 2020. A meta global de 310.000 residentes permanentes já era esperada entre os analistas de imigração, uma vez que, por mais que a Câmara de Comércio canadense tenha apontado que o fluxo ideal de imigrantes no Canadá seja de 450.000 imigrante por ano, o próprio IRCC não tem capacidade para tal. Pelo o que tenho pesquisado, o ministério conta hoje com menos de 500 analistas para processar TODOS os pedidos de vistos temporários e permanentes do planeta e está com seu orçamento contingenciado pelos próximos anos, então mesmo essa nova meta já é bastante ousada para a capacidade que eles possuem atualmente.

Mas, se o acréscimo de 3,3% em relação a este ano (2017) parece tímido, é importante observar, mais do que o número global como um todo, a direção desse total. E é aí que as coisas ficam interessantes.

Em primeiro lugar, está evidente que o IRCC quer focar a entrada de profissionais qualificados para os próximos anos. Em termos proporcionais, a meta de residência permanente pelos três principais sistemas federais de imigração, Federal Skilled Worker (FSW), Federal Skilled Trades (FST) e Canadian Experience Class (CEC) saltou 22,8% de 2016 pra 2017, e pra 2018, mais 4,5%. De 2017 pra 2020, o aumento acumulado esperado da meta nessa categoria é de 19,7%.

Um dos maiores alvos de críticas por parte da oposição (notadamente, os Tories, partido conservador) no Canadá foi a preocupação com a concentração de imigrantes nos grandes centros, deixando áreas mais remotas do Canadá pra escanteio, uma vez que o sistema federal é muito “solto” e dá autonomia ao imigrante de se fixar onde ele bem entender. E com razão, pois o crescimento dos grandes centros urbanos, em especial Toronto, Vancouver e Montréal, está criando reflexos típicos do crescimento desenfreado de áreas metropolitanas: aumento nos índices de criminalidade, inclusive crime organizado, miséria urbana e bolhas imobiliárias, causando com isso reflexos no aumento de custo de vida de moradia, consumo de energia, água e gás, alimentação e seguros. Talvez pensando nessas preocupações, o IRCC promoveu o verdadeiro pulo do gato foi na categoria Provincial Nominee Program (PNP), programas provinciais fora do Québec. Para 2018, a meta vai subir 7,8%, e para 2020, o aumento acmulado esperado desta meta é de 32,9%. Boas notícias pra quem quer focar nesses sistemas, que, apesar de terem um fluxo de processamento mais longo do que o sistema federal, costuma ser bem menos exigente, e valoriza quem se instala temporariamente na província para trabalhar temporariamente ou estudar. Em algumas províncias, uma oferta de emprego ou o simples fato de ter concluído um mestrado ou doutorado pode bastar.

Falando em desenvolvimento regional, quem tem interesse nas províncias do Atlântico (Nova Scotia, Prince Edward Island, New Bruswick e Newfoundland e Labrador), também é bom ficar de olho. O Atlantic Immigration Pilot Program vai seguir vivo, e embora com uma redução pela metade para 2018 (1.000 contra 2.000 deste ano), a meta para 2019 e 2020 vai dobrar a cada ano, ou seja, 2 e 4 mil, respectivamente. Pra quem já estava sondando essas províncias, fica a dica.

No entanto, nem tudo são flores para quem busca a tão sonhada residência permanente no Canadá. Um dos principais sistemas de imigração, o de Caregivers, voltado para cuidadores de crianças, idosos ou pessoas parcialmente ou totalmente incapazes, já tem tido uma redução brusca (caiu 18,2% em relação ao ano passado), vai despencar de vez, e vai se reduzir a apenas 5.000 candidatos em 2020, uma queda de dois terços em relação a 2017. Quem tem pretensões de imigrar por este sistema, o canto do cisne pros Caregivers é 2019, fica o alerta.

Quanto aos demais sistemas, existe crescimento, mas nada digno de muita nota. Os números para famílias (acompanhantes de candidatos e pais e avós) vão crescer ligeiramente ao longo dos anos, assim como o de refugiados e asilados. Em relação a este último, chama a atenção o fato do governo reduzir a participação no patrocínio de refugiados e deixar tal papel para a iniciativa privada, sendo que a grande virada de chave foi nesse ano de 2017, e mesmo com o aumento paulatino, o número global nessa categoria (48.700) ainda será inferior à quotas de 2016 (55.800).

Isso basicamente significa que o Express Entry, que começou a funcionar de forma tímida em 2015 e 2016, vai continuar bombando. Se consideramos a rigor 26 draws gerais (FSW, FST, CEC e PNP, todo mundo do corte pra cima, como é a norma) em 2018, sendo que 40% dos candidatos de PNPs vão ser escolhidos dentro do cadastro de candidatos do Express Entry – nem todas as províncias usam o Express Entry em seus sistemas, e várias, quando usam, o fazem de forma parcial – teremos uma média aproximada de incríveis 3700 candidatos por draw. Parece muito, mas vimos esses números no início desse ano, o que resultou num corte recorde de 413 em maio. Não creio que um corte tão baixo vá se repetir, pois houveram mudanças no sistema favorecendo candidatos com irmãos e cunhados residentes permanantes ou cidadãos canadenses no Canadá, candidatos bilingues inglês/francês e candidatos com educação superior canadense fulltime no Canadá. Como muitos pessoas entraram no Canadá em 2015 e 2016 como residentes temporários ainda com foco nos PNPs de algumas províncias e na tentativa de se enquadrar no CEC federal, essa turma toda provavelmente vai se beneficiar dos novos bônus em 2018, o que deve manter a média de corte na faixa atual dos 430-440, talvez caindo ou subindo ligeiramente abaixo de 430 ou acima de 440. Mas vai saber como o IRCC vai distribuir essas rodadas de convite ao longo do ano que vem, então não vou me surpreender se tivermos outro frevo como no início de 2017. Como não foram anunciadas mudanças no sistema de pontuação para 2018 até agora, temos um panorama bem claro das regras do jogo para o ano que vem, e isso é positivo. Quem é gamer sabe o quanto atrapalha ter que se adaptar a um balance patch de 15 em 15 dias, e essa basicamente foi a realidade dos candidatos à imigração canadense nos últimos dois anos. Eu vejo de forma positiva ter um pouco de previsibilidade, pelo menos por ora.

Outra coisa que convém observar é que os números de 2019 e 2020 ainda estão sujeitos à confirmação. A tendência é que os números de 2019 permaneçam numa situação normal, mas as metas de 2020 podem ser evidentemente revistas, caso o governo liberal do Justin Trudeau não consiga uma reeleição. Embora o Canadá tenha políticas de Estado realmente efetivas, sem ter a volatilidade típica de políticas de governo como no Brasil, sujeitas a viradas de chave abruptas ao bel prazer do mandatário da vez, poderemos ter sim mudanças nos critérios dos sistemas de imigração, das metas, prioridades, e até mesmo a criação de um novo sistema de imigração. Tudo pode acontecer. Por isso, a dica de norte é olhar pra 2019, pra 2020 não se pode garantir nada.

Bem, é isso aí. Boa sorte a todos! Vou deixar o link para uma planilha bem resumida onde levantei as análises deste post, e fiquem à vontade para darem seus pitacos.

https://drive.google.com/file/d/0B4CN9hMcTx6JTDJOVlJnam9VRUU/view?usp=sharing

Escrito por @joaojotao , nosso colega e grande contribuidor do Plano Canadá no Slack.

Participe da Comunidade Plano Canadá!

About the Author:

Sou Tatiana Santos, 41 anos. Tenho paixão por tecnologia, animais e a língua inglesa. Quero usar esse blog para compartilhar com você nosso Plano Canadá! Dúvidas, deixe seu comentário ou mande um email.